07 setembro 2012

Cidades-personagens


                Estes dias recebi um e-mail da editora Baraúna divulgando um livro ambientado em Salvador. Pra quem não sabe, quem vos escreve nesta cidade vive. O nome do livro era Paradoxo, do Marcelo Porto. Ao ler a sinopse do livro, senti um sentimento de estranheza justamente pela história se passar aqui em Salvador.

“PARADOXO é um thriller de ficção científica ambientado em Salvador. O romance relata a história de João Ventura, um jovem soteropolitano, estudante de física quântica na UFBA, que se torna o principal assistente do Dr. Alberto Prattes, o mais notório físico do País e o único brasileiro a conquistar um Prêmio Nobel. A narrativa tem início em Genebra, onde o ainda desconhecido, Alberto Prattes consegue comprovar a existência, do então batizado, Bóson de Prattes. Realização que deu ao cientista baiano o Prêmio Nobel de Física de 1969, tornando-o o mais jovem ganhador da comenda. Em 2011, no Campus de Estudos e Física Aplicada, construído pelo Dr. Prattes nos armazéns do antigo porto de Salvador (...)” Para ler mais, clique aqui.

                Estou acostumada a ler sobre personagens que vivem em Nova York, Paris, Los Angeles, Carolina do Norte, Londres, Roma, ou até mesmo em lugares como Nárnia, Hogwarts e Panem. Personagens que existem em uma realidade que eu não compartilho diariamente, que falam de locais que eu não conheço como eles conhecem. Eles estudam em Havard ou Princeton, possuem o sistema de ensino totalmente diferente do nosso e as férias de verão costumam acontecer em julho.
                Então eis que me deparo com um uma sinopse de um personagem que estuda na mesma Universidade que eu.   No livro, mesmo ainda não tendo lido, provavelmente ele cita as mesmas ruas que eu freqüento, quem sabe até, eventualmente, o  mesmo cinema ou restaurante. Eu, acostumada a ver descrito e imaginar lugares importados, achei estranho. É isso. Não encontro outra palavra pra descrever.
                Claro que os livros de antigamente ambientados por aqui  eu não acho estranho.  Jorge Amado descreve tão bem esta terrinha, e Machado e Alencar, por exemplo, falam maravilhas e com precisão do resto do Brasil.  Mas é um outro Brasil, que praticamente não existe mais. O Pelourinho (BA) e a Rua do Ouvidor (RJ) já não são mais a mesma coisa.
                Sei que existem muitos autores atuais nacionais descrevendo com mestria suas cidades natais, como é também o caso do recém-lançado e badalado Equinócio, da Lu Piras, que é ambientado no Rio de Janeiro. Mas o que mais me chamou a atenção foi ser aqui em Salvador, na minha Salvador atual.
                Vocês também estranhariam ao ler um livro que se passa na cidade aonde vive?! Um livro que fale dos lugares que você freqüenta com seus amigos?! Ainda não li Paradoxo, mas como adoro um bom suspense, e quero saber como é ler um livro de uma terra tão conhecida e atual, pretendo ler em breve.

Beijo,
A.

15 comentários:

  1. Gostei muito da postagem:) Amo seu blog, cheguei aqui por um convite pelo skoob. E me apaixono a cada dia mais.
    Beijos.
    http://paginasextraordinarias.blogspot.com.br/
    Pedro Magno ~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada, pedro :)
      continua sempre por aqui ^^

      Excluir
  2. Oi Agnes,com certeza ia querer um livro que falasse de lugares onde eu moro,seria uma experiência bem diferente das que já estamos acostumados a ver ,achei a postagem bem legal.

    strawberrydelivrosefilmes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Se não me engano, já li livros ambientados em São Paulo, cidade onde moro. E também achei estranho! Hahahaha. Tipo, são lugares que eu frequento, coisas que eu como, que escuto, que vejo, e que o personagem do livro também frequenta, come, escuta e vê. Mas isso dá uma certa intimidade com a estória, você realmente se sente parte porque consegue realmente se situar. A parte ruim é não conhecer outros lugares, né :p

    Beijos, Carol
    Thousand Worlds

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas é bom que a gente também conhece um pouco do nosso próprio lugar x)

      Excluir
  4. Essa sou eu: não leio livros de autores nacionais ambientados no exterior. Porra, como se já não bastassem livros nacionais serem mais raros, o ser me vem com algo no interior dos EUA? Não, nem vem. Pode até ser, sei lá, uma brasileira que foi fazer intercâmbio ou algo do tipo, mas personagem gringo nunca. Causa um pouco de estranhamento mesmo (ou eu acho que causa - nunca li um livro ambientado na minha cidade haha). Bacana, não havia ouvido falar desse livro daí. Com certeza vou comprar!

    ResponderExcluir
  5. Olá pessoal,
    Sou o autor de PARADOXO. A Agnes conseguiu descrever o motivo pelo qual ambientei a história em Salvador, minha cidade natal.
    Não acho estranho ver a minha terra num romance. Talvez por já estar acostumado a vê-la nas páginas de Jorge Amado e João Ubaldo, minha intenção foi fazer um contraponto com esses mestres que tiveram o erotismo e a malandragem baiana recheando suas histórias (vale citar o flerte com a ficção cientifica de “O Sorriso do Lagarto” de João Ubaldo). Trouxe uma história moderna, repleta de referências POP onde a cidade de Salvador é quase uma personagem.
    Quem conhece a cidade vai reconhecer os lugares e espero que quem ainda não a conhece, sinta vontade de conhecer.
    Espero que curtam o livro.

    ResponderExcluir
  6. Olá pessoal,
    Sou o autor de PARADOXO. A Agnes conseguiu descrever o motivo pelo qual ambientei a história em Salvador, minha cidade natal.
    Não acho estranho ver a minha terra num romance. Talvez por já estar acostumado a vê-la nas páginas de Jorge Amado e João Ubaldo, minha intenção foi fazer um contraponto com esses mestres que tiveram o erotismo e a malandragem baiana recheando suas histórias (vale citar o flerte com a ficção cientifica de “O Sorriso do Lagarto” de João Ubaldo). Trouxe uma história moderna, repleta de referências POP onde a cidade de Salvador é quase uma personagem.
    Quem conhece a cidade vai reconhecer os lugares e espero que quem ainda não a conhece, sinta vontade de conhecer.
    Espero que curtam o livro.

    ResponderExcluir
  7. Estranho, mas deve ser muito divertido poder se sentir parte da história!

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito do tema do post. Eu moro em uma cidade do interior, então duvido muito que alguém utilizaria minha terrinha como cenário, mas só de ler histórias que se passam em lugares que já visitei como RJ e SP já fico com uma sensação estranha também. É engraçado ler sobre algum lugar e lembrar-se de como é de verdade lá. Eu imagino que os americanos passem por isso o tempo inteiro, o que é meio triste. Eu gosto de poder imaginar as cidades da maneira que eu achar melhor :p
    Luisa
    http://blog.fomedelivros.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Acho o máximo livros que descrevem lugares que conhecemos! Aqui em São Paulo é mais comum mas nem por isso deixa de ser interessante, o mais recente que li foi "Eles eram muitos cavalos" do Luiz Ruffato e descreve várias cenas e lugares de SP que vi ou vivi, amei com todo o coração. Os livros da Clarah Averbuck tbem descrevem vários lugares que já frequentei. É muito legal isso!

    Quando vc ler "Paradoxo" conte pra ente o que achou. :)

    Beijão querida. :-*

    ResponderExcluir
  10. Eu adoro ler histórias que têm como cenário na minha cidade. Aliás, só de saber que uma trama se passa onde moro, eu já me interesso, seja um filme ou livro. A sensação de familiaridade é ótima!
    bjo

    ResponderExcluir
  11. Bem, nunca li um livro que se passasse em minha cidade, mas, assim como os outros leitores, acho que seria uma experiência muito estranha haha Porém acho super legal autores como Marcelo Porto homenagearem a sua cidade natal ou que vivem atualmente.

    Danielle Reis
    http://blogdaninareis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá! :D
    Bem, indiquei-lhe para o meme "blog feliz", espero que goste e participe, certo?!!!
    Dê uma olhadinha aqui, por favor: http://www.linguasdeprata.com/2012/12/meme-blog-feliz.html

    Beijinhos ! :3

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário!

Editado por Agnes Carvalho. Imagens de tema por andynwt. Tecnologia do Blogger.

© rascunhos e borrões, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena