09 dezembro 2013

de coração para coração

                FATO NÚMERO 01: sick-lits¹ estão na moda. Para aqueles que não estão familiarizados com esse termo, explico:  literatura enferma, literalmente. São livros voltados para jovens envolvendo histórias de pacientes com doenças. Daí temos: A Culpa é das Estrelas, Extraordinário, Antes de Morrer, etc. São,  basicamente, dramas adolescentes que resolveram extrapolar o mundo dos primeiros amores. Neles, as narrativas são mais down e o leitor, inevitavelmente, se apega a um personagem que não sabe se estará vivo até o fim do livro.
                FATO NÚMERO 02: de coração para coração é mais um que tenta pegar carona nessa nova tendência literária. Segundo a orelha do livro, a autora sempre escreveu sobre personagens com doenças crônicas ou em fases terminais, mas como ela é completamente desconhecida no Brasil, é óbvio que só foi lançado por aqui por modinha.



        A trama se propõe a falar sobre perda, amor e renovação. Gira em torno de três personagens: Elowyn, Kassey e Arabeth. Elowyn e Kassey são melhores amigas, enquanto Arabeth nunca teve a sorte de ser amiga de ninguém. A vida das três é, repentinamente, unida de uma forma bastante trágica e inimaginável, e os destinos delas se confundem.    
Apesar da capa linda que a Novo Conceito preparou e da edição impecável, é aquele tipo de história fraca para durar mais de 200 páginas. Só existe um acontecimento extraordinário no livro, e isso é tão claro que o próprio resumo da editora no fundo entrega o livro todo de cara – porque, claramente, eles não tinham mais nada sobre o que falar.
É uma leitura rápida (01 noite!), prova de que falta um pouco mais de consistência e substância. O livro não tem a pretensão de ter mistério nenhum, o que é uma pena, pois o leitor não é convidado a supor ou imaginar nada, está tudo ali tão claro que chega até doer. O tema sugere possibilidades inúmeras, e nenhuma dela é agarrada de fato pela autora. Uma pena. Resumindo: tudo poderia ter sido melhor explorado, e muito menos poderia ter sido dito.


¹ Saiba mais sobre sick-lit aqui.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!

Editado por Agnes Carvalho. Imagens de tema por andynwt. Tecnologia do Blogger.

© rascunhos e borrões, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena